7.3.13

d66

{imagem daqui}

Segundo este teste, vou viver até aos 91 anos. Uiii, mas quem é que me aguenta tantos anos?!
As pessoas com mais de 80 anos que conheço tornaram-se egoístas, mas mesmo inacreditavelmente egoístas! Parece que a personalidade se alterou, degenerou ou... refinou, nem sei como definir. A sobrevivência passou a ser uma questão urgente pela qual se tem que lutar a cada minuto e tudo o resto não interessa para nada, não se pode confiar em ninguém e age-se como se se estivesse em "estado de sítio" permanente.
Estas pessoas que conheço não tiveram oportunidade de utilizar ferramentas que hoje em dia são comuns, como psicoterapia e meditação. 
Eram outros tempos e as oportunidades eram outras!
Ontem dei por mim a pensar que, se vou ficar assim, então se calhar já não me interessa muito viver até aos 100...
Não gostava mesmo nada de me tornar numa velha amarga e resmungona, e eu já tenho um mau-feitio terrível. Não gostava que .ele. e os nossos filhos venham a perder o juízo para me aturarem.
Quando tomei a decisão de investir em mim, há quase 10 anos, fi-lo porque as minhas irmãs me disseram que já não me conseguiam aturar mais... e eu dei-lhes razão (eu também já não me aturava a mim própria!) e fui procurar ajuda. A minha vida mudou desde então!
Se viermos a ter reforma (o que eu duvido muuuuito), preocupa-me a saúde mental que terei (ou não terei), mais do que o dinheiro ou o descanso em si mesmos.
A nossa mente é a nossa casa permanente, como o nosso corpo.
É pena que ainda se continue "na fuga para a frente", a achar que apenas interessa o que se come, o desporto que se faz, o colesterol, os açucares que são uma droga e sei lá mais o quê. Estas coisas são importantes, sem dúvida, mas não são suficientes para garantir a saúde plena pois são altamente falíveis, mesmo que a gente faça tudo "certinho" (seja lá o que isso for). 
Os que só comem saudável e nunca fumaram morrem e sofrem tanto como os outros. Os que meditam e rezam morrem e sofrem tanto como os outros. Não há controlo possível sobre isto.
Temos que nos convencer de uma vez por todas que NÃO HÁ forma de controlar a VIDA e a MORTE!
Saúde mental é isso, não controlar, não fazer as coisas para controlar, não desejar controlar... e ser feliz assim.
Pelo menos é o que eu acho agora.

2 comentários:

Carolina.Lx disse...

olá mi!
Eu também tenho imenso medo de ficar uma velha chata! :)
Mas vai correr bem. Já decidi que se ficar chata começo a tomar uns prozacs para ver a vida com outros olhos. Também... com 80 e tal anos, mais prozac, menos prozac pouco importará! :)

Anónimo disse...

Olá Carol, a ideia do prozac é boa sim senhora! :) beijinhos


mi